Parque Estadual do Jaraguá oferece mais opções para público especial

Trilha adaptada para portadores de deficiência visual e cadeirantes é uma das novidades

A Secretaria do Meio Ambiente inaugurou, no Parque do Jaraguá, nesta segunda-feira (03/12), uma trilha especialmente adaptada para permitir a locomoção de deficientes visuais e cadeirantes. Conhecida como “Trilha do Silêncio”, a novidade faz parte de um projeto que prevê a instalação, em breve, de um centro de educação ambiental e de atendimento ao visitante, além de uma biblioteca, com publicações em braille.

O “Espaço Conviver”, como está sendo chamado o projeto para o público especial, no Parque Estadual do Jaraguá, servirá como piloto da experiência que a Secretaria do Meio Ambiente (SMA) pretende levar para outras unidades de conservação no estado, dando oportunidade de contato com a natureza aos portadores de deficiência física, visual, auditiva ou mental, além de promover sua participação e integração em ações de educação ambiental.

Na “Trilha do Silêncio”, uma das quatro trilhas do parque, para adequar o espaço à visitação de pessoas com limitações, foram instalados equipamentos especiais que permitem a locomoção de deficientes visuais e cadeirantes. Essa trilha recebeu a denominação por causa da vegetação que abafa grande parte dos ruídos produzidos pelas rodovias e área urbana que cercam o parque. Esse trecho é indicado para pessoas de todas as idades, pela facilidade de acesso e por abrigar diversos exemplares da fauna, como tucano do bico verde, bem-te-vi e macaco-prego, assim como da flora, entre os quais o palmito juçara, o guapuruvu, pau-jacaré e manacá da serra. No caso dos deficientes visuais, além dos sons da mata, os visitantes podem usufruir das informações sobre as espécies existentes no local, impressas em braille.

O Parque do Jaraguá passa a oferecer também atendimento diferenciado para esse público. Para isso, os funcionários receberam treinamento ministrado pelo Departamento de Educação Ambiental da SMA, que incluiu já funcionários de outras unidades de conservação. O objetivo da iniciativa foi facilitar o acesso aos serviços, informações e documentações, além de permitir o desenvolvimento de atividades educativas, turísticas, recreativas e de percepção ambiental, que possibilitem o contato com a natureza, a socialização e conscientização ambiental.

O projeto levou em conta o fato de grande parte dos parques administrados pela SMA em todo o Estado possuir condições para a promoção da educação ambiental e se apoiou nos dados do IBGE, indicando que 14,5% da população nacional é formada por portadores de algum tipo de deficiência. Atende também as Diretrizes para Visitação em Unidades de Conservação, estabelecidas pelo Ministério do Meio Ambiente em 2006, que inclui a observação de normas para a promoção da acessibilidade de pessoas portadoras de necessidades especiais; obras e equipamentos que permitam o acesso de todos. Inclui também a participação de organizações de portadores de deficiência na elaboração de padrões e normas para o desenvolvimento de atividades e produtos específicos para este público, garantindo a igualdade de oportunidades.

Parque Estadual do Jaraguá

O Parque Estadual do Jaraguá, com acesso na altura do Km 18 da Via Anhanguera, atualmente é administrado pela Fundação Florestal, da SMA. Criado em 1961 e tombado como patrimônio da Humanidade da Unesco em 1994, a unidade de conservação com cerca de 5 mil hectares tem entre seus principais atrativos o Pico do Jaraguá, ponto mais alto da cidade de São Paulo, com 1.135 metros de altitude. Abriga também vegetação remanescente de Mata Atlântica, bosques lagos e equipamentos de lazer e esportes.

Os monitores ambientais promovem atividades de educação ambiental e acompanham caminhadas ecológicas, além de cuidar da manutenção das quatro trilhas existentes no parque.

Texto: Eli Serenza
Fotografia: José Jorge