Setor florestal assume agenda ambiental

A população do estado de São Paulo ganhou mais uma importante estratégia para proteção ambiental. O setor florestal, grupo econômico das florestas plantadas, assumiu com o Governo do Estado de São Paulo um compromisso para ações de boas práticas ambientais.

Nesta segunda-feira, 8 de dezembro, as empresas Fibria, Duratex, Suzano e Lwarcel formalizaram adesão ao Protocolo Agroambiental do Setor Florestal, com os secretários do Meio Ambiente, Rubens Rizek, e da Agricultura, Mônika Bergamaschi, para adotarem boas práticas ambientais na produção.

Participaram da assinatura, também , o presidente da Associação Paulista de Produtores de Florestas Plantadas – Florestar São Paulo, José Ricardo Ferraz, e os representantes da Duratex, José Luiz da Silva Maia, da Lwarcel, João Pedro Pacheco, da Fibria, Onara Oliveira de Lima, e da Suzano, Estevão do Prado Braga.

“A finalidade do protocolo é estimular sustentabilidade das atividades do setor de florestas comerciais plantadas. Inspirado pelo Projeto Etanol Verde, um sucesso”, afirmou o secretário Rizek.

O Protocolo foi assinado em junho de 2012, pela Secretaria do Meio Ambiente – SMA, Secretaria de Agricultura e Abastecimento – SAA e Associação Paulista de Produtores de Florestas Plantadas – Florestar São Paulo.

As empresas representam uma área de 568.567,7 ha comprometida com as seguintes boas práticas agroambientais: a proteção e restauração da vegetação nativa no entorno das nascentes e cursos de água e minimização dos impactos em suas bordas; formação de corredores ecológicos; difusão e disseminação das boas práticas de manejo florestal; utilização e armazenamento adequados de agroquímicos; prevenção e combate a incêndios florestais; conservação de solo; gestão dos resíduos para prevenir a poluição; e conservação dos recursos hídricos.

“É um importante passo para esse que é o segundo maior setor produtivo agrícola de São Paulo, atrás apenas da cana-de-açúcar. A adoção de boas práticas garantem a preservação ambiental, qualidade de vida para a população, mas também sustentabilidade ao negócio e é um importante reforço de comunicação para comercialização”, justificou a secretária Mônika.

Depois de apresentado o plano de ação, as signatárias receberão o Certificado Silvicultura Sustentável, que reconhece e atesta o compromisso com a implementação das boas práticas agroambientais. “Um importante reforço na comercialização, num mercado cada dia mais exigente com a responsabilidade socioambiental. Tudo isso construído com diálogo e parceria técnica entre governo e iniciativa privada”, afirmou o presidente da Florestar, José Ricardo Ferraz.

O setor

Os plantios florestais comerciais ocupam uma área de mais de sete milhões de hectares do território nacional, sendo mais de 90% ocupados por espécies de Eucalyptus e Pinus. No estado de São Paulo, há 1,18 milhão de hectares dessas florestas plantadas, contribuindo com uma parcela significativa no PIB estadual.