Curso de formação de monitores ambientais tem início no PETAR

Com muito entusiasmo e vontade de aprender, 46 moradores do Vale do Ribeira começaram na quarta, 1º de fevereiro, o curso de formação para monitores ambientais locais para parques estaduais no Vale do Ribeira. A capacitação, em sua oitava edição, tem duração de 360 horas, das quais 120 são de estágio, e é promovida pelo Instituto de Geociências da USP, em parceria com a Fundação Florestal, a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, as prefeituras de Iporanga e Apiaí, empresas privadas e universidades da região.

Os 46 alunos foram selecionados, por meio de entrevista, entre 240 inscritos provenientes dos municípios de Apiaí, Eldorado e Iporanga. Foi dada prioridade a moradores locais, a quem não tem emprego e a quem já vem trabalhando na condução de visitantes em áreas externas ao parque.

A maior parte das aulas é ministrada no Núcleo Ouro Grosso do Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR), mas também haverá aulas no campus da USP.

A grade curricular é adaptada à realidade das atividades realizadas nas unidades de conservação, incluindo módulos de geociências e primeiros socorros. São enfatizadas as atividades práticas e direcionadas às reais necessidades dos futuros monitores, com transmissão de conhecimentos científicos sobre o meio físico, biótico e sociocultural da região.

A área de atuação destes monitores está situada no maior contínuo de Mata Atlântica do Brasil, local com imensa atratividade para a prática do ecoturismo e que concentra mais de 500 cavernas.

A próxima edição do curso deve acontecer no segundo semestre deste ano.

[/vc_column_text]

Texto: Anna Karla Moura

Fotos: Junior Petar

Matérias relacionadas