São Paulo atinge 90% da meta do programa da qualidade das águas

Acordo entre Cetesb e ANA prevê a instalação de 249 pontos para monitorar as águas superficiais no Estado até 2020

Rosely Ferreira

A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) instalou 227 equipamentos para monitorar a qualidade das águas superficiais no Estado. A marca representa 90% da meta determinada em um acordo firmado, em 2010, entre a companhia e a ANA (Agência Nacional de Águas) para a implantação do Programa Nacional de Avaliação da Qualidade das Águas em São Paulo.

Até 2020, o governo de São Paulo vai instalar 249 equipamentos de monitoramento nas mais diversas regiões do Estado.

Técnicos da ANA, da Cetesb e do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) realizaram ao longo dos anos diversas reuniões para apontar os melhores pontos para a instalação dos equipamentos. Os aparelhos vão compor a Rede Nacional de Monitoramento de Qualidade das Águas (RNQA)

Dentro do Estado, as áreas prioritárias para a implantação dos equipamentos foram os rios que separaram São Paulo dos Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais.

Como forma de premiação pelo resultado, a ANA viabilizou a aquisição e transferência à Cetesb de veículos, computadores e equipamentos analíticos, sondas e medidores de vazão. No total, o aporte de recurso destinado à companhia superou a marca de R$ 1,5 milhão.

O Programa

O PNQA, como é conhecido o programa, tem como principais objetivos realizar o acompanhamento sistemático das águas superficiais brasileiras em termos de quantidade e qualidade, além de fornecer à sociedade e aos órgãos gestores de todo o país as informações obtidas a partir desse monitoramento.

A Cetesb foi convidada a colaborar em razão de sua experiência e excelência no tema, o que inclui o já elaborado e disponibilizado “Guia Nacional de Coleta e Preservação de Amostras de Águas, Sedimento, Comunidades Aquáticas e Efluentes Líquidos”, publicado em conjunto com a ANA em 2011.