Transição agroecológica avança no estado de São Paulo

Protocolo estimula a adoção de práticas agrícolas sustentáveis por agricultores

Texto: Luciana Reis

A paixão pela natureza ou a necessidade de se adequar às novas exigências do mercado, que propaga vida saudável e sustentabilidade, são alguns dos motivos que levam os produtores agrícolas a buscar reconhecimento da qualidade de seus produtos e a adequação ambiental. É o caso de Ludwing Paraschin, de São Roque. Com uma fazenda voltada ao turismo ecológico, ele tem uma horta para consumo da família e do seu restaurante. Além da beleza do local, a boa qualidade dos legumes e verduras caiu no gosto dos fregueses que também queriam levar pra casa. “Mas aí vinham as perguntas: é orgânico? Tem certificado? Então vi que era hora de certificar meus produtos”, contou.

Esses questionamentos e a paixão pela natureza motivaram Ludwing Paraschin a assinar o Protocolo de Intenção de Transição Agroecológica e Produção Orgânica, das Secretarias Estaduais de Meio Ambiente (SMA) e de Agricultura e Abastecimento (SAA), da Associação de Agricultura Orgânica (AAO) e do Instituto Kairós. A ideia do protocolo é estimular a adoção de práticas agrícolas sustentáveis por agricultores; promover o uso sustentável dos recursos naturais; e incrementar a produção, a oferta e o consumo de alimentos saudáveis.

Já a motivação do produtor Sebastião Mendes de Oliveira, do Pontal de Paranapanema, foi aumentar a clientela e atender às necessidades de sua rede de consumidores, que pressionava por produtos certificados. A expectativa dele é por em prática as diretrizes do protocolo. Algumas até já fazem parte da rotina e outras, inclusive, já almejam a tempos. “O protocolo veio na hora certa. Vamos fazer a transição e espero em dois anos ter a certificação de orgânicos”, contou animado.

“A transição para uma produção agroecológica é um período difícil, permeados de dúvidas e o protocolo oferece esse acompanhamento aos interessados”, explicou Araci Kamiyama, diretora do Departamento de Desenvolvimento Sustentável, da SMA.

A assinatura desses e de mais 15 termos de adesão ao protocolo foi realizada na BioBrazil Fair – Feira Internacional de Produtos Orgânicos e Agroecologia, considerada o maior evento de negócios de produtos orgânicos da América Latina, realizada no Parque Ibirapuera, na capital paulista. Participaram produtores das prefeituras de São Paulo, São Roque, da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) e da Cooperativa de Trabalho e Assessoria Técnica, Extensão Rural e Meio Ambiente (Amater).

Entre os convidados para o evento de assinatura, na quarta-feira, 7 de junho, Rogério Pereira Dias, coordenador de Agroecologia, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). “O produtor quer, cada vez mais, ver seu produto reconhecido. Por isso a importância do certificado. E nesse processo de transição é importante contar com o acompanhamento de técnicos”, destacou.

Também no evento, foi anunciado o novo endereço eletrônico do protocolo de transição (http://www.codeagro.agricultura.sp.gov.br/fichas-agroecologicas/protocolo-transicao).

 

Sebastião Mendes do Oliveira


Ludwing Paraschin