Museu Geológico exibe fósseis de dinossauros que viveram em SP

Local possui acervo que representa mais de um século de pesquisas em geociências

Algumas espécies de dinossauros e uma baleia azul com mais de 150 toneladas. É difícil de acreditar, mas esses eram os habitantes do Estado de São Paulo antes dos seres humanos chegarem com os prédios, os carros e todo o resto. Está tudo comprovado, basta visitar o Museu Geológico Valdemar Lefèvre (Mugeo), no parque da Água Branca, na zona oeste de São Paulo.

Administrado pela Secretaria do Meio Ambiente, o Mugeo reúne uma série de exposições permanentes de fósseis, minerais, rochas, objetos e documentos antigos encontrados em solo paulista pelas equipes de pesquisa da Comissão Geográfica e Geológica.

Logo na entrada do local, é possível ver os ossos de uma baleia azul – costela, vértebras torácicas, peças da bacia e da barbatana – de aproximadamente 700 anos, encontrados na Praia Grande, no litoral. O animal pode atingir 35 metros de comprimento, pesar 150 toneladas e viver até 40 anos.

Outro atrativo do museu são os fósseis de dinossauros encontrados no Estado. Um deles é o de um titanossauro, espécie que pesava quase 10 toneladas e media cerca de 12 metros.

Criado em 1967, recebeu esse nome em homenagem ao engenheiro e ex-diretor do Instituto. Em 1994, o museu foi reinaugurado com novas linhas de atuação. Ele une história e comunicação, conduzindo o visitante a conhecer e refletir sobre alguns mistérios do mundo.

O Mugeo oferece oficinas monitoradas a escolas públicas e particulares ou a grupos organizados, que devem ser previamente agendadas. A visitação é gratuita para quem quiser conhecer o espaço, porém, para escolas e grupos é cobrado o valor de R$ 5,00 (cinco reais) por pessoa para escolas particulares e de R$ 1,00 (um real) para escolas públicas.

O horário de funcionamento do Museu é de terça a domingo das 9h às 17h.
Local: Parque da Água Branca – Av. Francisco Matarazzo, nº 455
São Paulo – SP
Telefone: (11) 3872-6358