Começa o processo de restauração da Estação Ecológica de Ribeirão

Acordo entre a Secretaria do Meio Ambiente e CPTM dará início ao reflorestamento de 40 hectares

A Secretaria do Meio Ambiente assinou com a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) o Termo de Início do Projeto de Restauração Florestal de 40 hectares, dos 98 hectares atingidos pelo incêndio de 2014, da Estação Ecológica de Ribeirão Preto. Na ocasião da assinatura do termo, também foi entregue o projeto executivo, feito pela CPTM, incluindo o diagnóstico da área e todas as quatro etapas envolvidas no processo de restauração. A íntegra do termo foi divulgada na manhã da segunda-feira, 28 de agosto.

No próximo dia 31/8, será feito o plantio simbólico de mudas de espécies nativas para marcar a nova fase da unidade de conservação. Na ocasião, a Secretaria de Meio Ambiente e a Fundação Florestal realizam um evento para debater o Programa Corta Fogo na Estação Ecológica de Ribeirão Preto com seus parceiros.

A restauração florestal é um processo longo e complexo. No caso da Estação Ecológica, a parceria com a CPTM vai durar 5 anos, incluindo a manutenção e o monitoramento das ações. O plantio na área só pode ser iniciado depois da retirada dos fatores de degradação, no caso as lianas (espécie de trepadeiras).

Outros 41 hectares da área, também disponibilizados no Banco de Áreas do Programa Nascentes pela Fundação Florestal, serão restaurados por meio de outro termo de compromisso de recuperação ambiental (TCRA) firmado entre a Leão Engenharia e a Cetesb.