11 de setembro – Dia do Cerrado

Texto: Cris Leite

O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul e do Brasil, atrás apenas da Amazônia. Ocupa cerca de 20% do território brasileiro, espalhando-se pelos estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás, Roraima, Rondônia, Amapá, Amazonas, Pará, Minas Gerais, Piauí, Bahia, Ceará, Maranhão, São Paulo, Paraná.

Geograficamente, são mais de dois milhões de quilômetros quadrados, abrigando mais de 800 espécies de aves, 160 de mamíferos, 150 de anfíbios, 100 de répteis. Estão presentes também mais de 10.000 espécies de plantas. É considerado a savana mais rica do mundo em biodiversidade.

Além de toda essa biodiversidade, o Cerrado é também o berço das águas do Brasil. Cerca de 20% das nascentes brasileiras encontram-se nesse bioma. O Cerrado contribui com a produção hídrica de 12 regiões hidrográficas. Suas águas são responsáveis pela maior parte da geração de energia elétrica consumida no país.

Contudo, o Cerrado é considerado também uma das áreas mais desprotegidas e devastadas do Brasil. Estima-se que 50% da área do Cerrado tenha sido destruída, colocando em risco muito de nossa flora e fauna, além da produção de água em, consequentemente, o abastecimento hídrico brasileiro. Espécies conhecidas como lobo-guará, tamanduá-bandeira, jaguatirica correm risco de extinção ao lado de outras menos conhecidas como quenquém e aranha-de-teia-de-solo, endêmicas da região.

O dia 11 de setembro é o Dia Nacional do Cerrado. O dia alerta sobre a importância da conservação do bioma, da preservação da natureza. O dia é uma data para se refletir sobre produção aliado ao desenvolvimento sustentável.

Foto: Parque Estadual Juquery – fragmento de Cerrado (Humberto Lago Muller)

Matérias relacionadas:

A fabulosa biodiversidade do Cerrado

Fundação Florestal alerta para os riscos que ameaçam o Cerrado