Evento reúne prefeitos para discutir gestão de resíduos

O Consimares apresentou seu projeto de parceria público-privada para que prefeituras possam se adequar à Política Nacional do Meio Ambiente

Texto e fotos: Dirceu Rodrigues

O Consórcio Intermunicipal de Manejo de Resíduos Sólidos da Região Metropolitana de Campinas (Consimares) realizou no dia 9 de outubro, em Nova Odessa, um evento para apresentar e debater o seu plano de solução consorciada de gestão de resíduos para mais de 30 cidades das regiões de Campinas e Piracicaba. A proposta foi permitir que cidades do interior paulista possam se adequar à Política Nacional de Meio Ambiente.

O secretário do Meio Ambiente, Maurício Brusadin, participou da mesa de abertura. Em sua fala, lembrou que, logo ao assumir, percebeu que 70% de sua agenda apontava para aterro e resíduos sólidos. Baseado nisso, montou um grupo especializado para aportar conhecimento no processo de consórcios. “Uma secretaria como a do Meio Ambiente tem porte para trazer para si esse debate dos consórcios. Esse grupo, em parceria com a Cetesb, foi criado com o objetivo de construir uma politica estadual para os consórcios”. Prosseguiu dizendo que “não há solução em médio e longo prazo para a questão dos resíduos que não passe pelos consórcios. É a única forma de termos economia de escala. Portanto, nós vamos jogar toda a nossa energia possível para dar aporte de conhecimento técnico para tirar os consórcios do papel”.

Brusadin disse ainda que “outra questão primordial é a da redução da geração de resíduos. Não podemos achar que vamos resolver todos os problemas fazendo um bom aterro ou uma boa gestão de reciclagem. Temos que trabalhar arduamente com a redução, senão lá na frente vamos perder esse jogo, pois haja espaço no planeta para guardar tanto resíduo. Precisamos começar a discutir que humanidade e que sociedade queremos para o futuro”.

Hoje, no Estado de São Paulo, 508 cidades, de um total de 645, possuem menos de 50 mil habitantes. “Ao reunir médias e pequenas cidades, podemos distribuir com melhor razão os investimentos naquela região, fazendo com que todas cresçam de forma equânime e regular, o que evita o êxodo de pequenas cidades e seu abandono”, completa o secretário Maurício Brusadin.

No evento, o presidente da Cetesb, Carlos Roberto, participou da mesa Gestão de resíduos sólidos: como a gestão pública municipal pode buscar soluções para se adequar à Política Nacional de Meio Ambiente. A última mesa sob o tema Consórcios, aglomerações urbanas e regiões metropolitanas: a união de forças como solução para reduzir custos, fomentar o desenvolvimento de empresas locais e aumentar a eficiência de contratos em Parcerias Público-Privadas foi conduzida por Luigi Longo, responsável pela área de consórcios, aglomerações urbanas e regiões metropolitanas da Secretaria de Meio Ambiente.

Carlos Roberto, presidente da Cetesb, na Mesa sobre Gestão de resíduos sólidos
Luigi Longo, responsável pela área de consórcios, aglomerações urbanas e regiões metropolitanas da SMA