Operação Corta Fogo

O aumento dos focos de incêndio no Estado de São Paulo no ano de 2010, impulsionado pela incidência de um inverno mais seco e prolongado, reacendeu a preocupação quanto aos impactos negativos que a amplificação desse fenômeno pode estar acarretando.

Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o número de focos de incêndio no Estado de São Paulo em 2010 alcançou o valor de 2.837 ocorrências, superando os dois últimos anos que respectivamente apresentaram 1.390 e 1.734 ocorrências.

Quanto aos impactos negativos mencionados, a aumento dos focos de incêndio acarretou no ano de 2010 problemas em diversas áreas: aumento da poluição do ar, aquecimento global com o aumento das emissões de gases de efeito estufa (GHG), eliminação de áreas florestadas, perdas de vidas humanas, perdas materiais (Setor Privado), danos à fauna e à flora, perda de material energético (biomassa), etc.

Visto o grau de importância que o assunto apresenta, o Governo do Estado de São Paulo instituiu o Sistema Estadual de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais no Estado de São Paulo, visando a redução dos focos de incêndio e, consequentemente, a minimização dos impactos que estes acarretam. O sistema prevê a integração das ações de prevenção, monitoramento, controle e combate a incêndios florestais, que serão coordenadas pela Secretaria de Meio Ambiente em conjunto com a Casa Militar- Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Policia Militar Ambiental e Municípios.