Governo do Estado de São Paulo Sistema Ambiental Paulista

24/06/09 00:00

Megacomando fiscaliza a emissão de fumaça preta (Ouça a entrevista)

Ação marcou início da Operação Inverno 2009; ao todo, 1.223 motoristas foram autuados.

O motorista de caminhão Sidney da Cunha acordou bem cedo hoje. Já de madrugada, na cidade de Registro, carregava o automóvel com mudas de plantas para serem revendidas na CEAGESP de Campinas. Já na cidade de São Paulo, ouviu na rádio que a Secretaria do Meio Ambiente e a CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental, juntamente com as polícias militares Ambiental e Rodoviária, faziam um megacomando de fiscalização de emissão de fumaça preta nas principais rodovias que dão acesso à Capital.
Cunha temeu que pudesse ser parado, já que o seu caminhão emitia uma fumaça que ele não sabia se atendia ao recomendado pelo órgão ambiental. Ao passar pelo Rodoanel, a suspeita foi comprovada. O caminhão foi parado e o motorista levou para casa uma multa ambiental no valor de R$951,00.
Cunha e outros 1.222 motoristas de veículos a diesel foram alvo da Operação Inverno, campanha realizada todo ano pela CETESB no período em que as condições meteorológicas são mais desfavoráveis à dispersão dos poluentes, visando amenizar ou prevenir episódios críticos de poluição. Nesta quarta-feira, 24.06, 16 rodovias contaram com comandos que envolveram, ao todo, 125 funcionários da SMA, CETESB e Polícia Militar. Das 9h00 às 15h00, passaram pelos comandos 27.799 veículos, registrando um percentual de desconformidade de 4,4%.
O secretário do Meio Ambiente, Xico Graziano, passou pelo comando do Rodoanel, onde Cunha foi autuado, e deixou claro de que “mais que punir, esses comandos têm caráter educativo, para orientar os motoristas sobre a importância de manter o veículo regulado e ajudar a combater a poluição atmosférica”. Durante o período da Operação Inverno os veículos multados podem reduzir em até 70% o valor da penalidade se efetivarem e comprovarem a realização da manutenção do veículo.OpacímetroDurante a megaoperação de fiscalização de fumaça preta, Xico Graziano anunciou a publicação ainda esta semana, no Diário Oficial, de novo decreto que passa a reconhecer o opacímetro como instrumento de fiscalização da emissão de poluentes dos veículos.Desde o início das fiscalizações da CETESB, na década de 70, o instrumento utilizado para identificar os veículos poluidores foi a Escala de Ringelman, tabela com cinco tons de cinza onde é possível fazer uma comparação com a cor da fumaça emitida pelos veículos diesel. Quando a cor da fumaça se enquadra entre os tons de número três a cinco, o veiculo está em desconformidade e é autuado. A multa por emissão de fumaça preta é de 60 Unidades Fiscais do Estado de São Paulo – UFESP, equivalentes a R$951,00, podendo dobrar a cada reincidência no mesmo ano.Com o opacímetro será possível fazer fiscalizações mais rigorosas, já que o equipamento consegue detectar fumaças invisíveis, mas que também interferem na qualidade do ar. A outra novidade do decreto é que agora os municípios também poderão atuar como agentes fiscalizadores, desde que firmem convênio com o Estado.A tarefa de fiscalizar as emissões das frotas de veículos a diesel cabia somente ao Estado, que agora passa a contar com as prefeituras como parceiras nesse trabalho. A vantagem para o município é a intensificação na fiscalização de uma atividade que tem impacto local, favorecendo a redução das emissões de poluentes por parte dos veículos na localidade.
Graziano também ressaltou a importância da sociedade participar como agente fiscalizador, lembrando que, para isso, existe o Disque Ambiente – 0800 11 35 60 –, canal de denúncias da Secretaria do Meio Ambiente. Atualmente, 50% das denúncias registradas no Disque Ambiente são de emissão de fumaça preta. No ano passado, durante a Operação Inverno, o serviço recebeu 3.500 denúncias de veículos poluidores. Os próprios motoristas que passaram pelo megacomando desta quarta-feira reconheceram que a sociedade tem que denunciar e que cabe a eles manter os veículos regulados. “Vocês estão certos, agora é levar o caminhão para o reparo e ficar uns 15 dias sem pegar estrada até o caminhão ficar pronto novamente. Vou ficar mais atento”, finalizou Cunha antes de entrar no seu veículo e seguir para Campinas com as mudas de plantas e uma multa de R$951,00.Balanço Final
PONTO CONTAGEM AUTUAÇÕES %DESCONFORMIDADE Anhanguera 1.692 75 4,43 Bandeirantes 2.765 193 6,98 Raposo 3.406 269 7,90 Castelo 1.215 91 7,49 Rodoanel 3.853 83 2,15 Airton Senna 854 53 6,21 Fernão Dias 3.024 22 0,73 Anchieta 3.168 149 4,70 Imigrantes 410 6 1,46 CEAGESP 2.477 144 5,81 Jacu-Pessêgo 821 45 5,48 Barretos 350 10 2,86 S. Jose do Rio Pardo 174 8 4,60
Dutra 1.409 14 0,99 Jaboticabal 336 52 15,48 Cônego Rangoni 1.845 9 0,49 Total 27.799 1223 4,40 Áudio
Secretário Xico Graziano fala da Operação Inverno e do novo decreto que reconhece o opacímetro como instrumento de fiscalização da emissão de fumaça preta:

<!–
if(navigator.userAgent.indexOf(“MSIE”) != -1){
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
}else {
document.write(‘<object id="embPlayer" width="275" height="61" type="application/x-ms-wmp"');
document.write('’);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
document.write(”);
}
–>

Texto:
Evelyn Araripe
Fotografia:
José Jorge