Operação integrada barra crime ambiental em unidade de conservação

Ações integradas entre técnicos da Fundação Florestal e da Polícia Militar Ambiental resultaram na apreensão de infrator no Parque Estadual Ilha do Cardoso (PEIC), no litoral sul do estado, quando extraía palmito. A ação, realizada na terça-feira, 9/1, foi possível graças ao Sistema Integrado de Monitoramento (SIM), da Secretaria do Meio Ambiente, que tem o objetivo de estabelecer ações integradas de fiscalização e monitoramento dos recursos naturais no interior e na zona de amortecimento das Unidades de Conservação da Natureza administradas pelo Governo do Estado de São Paulo.

O infrator foi detido em flagrante, por derrubar e extrair o palmito de 38 palmeiras-juçaras, e levado para a delegacia de Cananeia, por causar dano direto à unidade de conservação e por guardar produtos de origem vegetal, sem licença válida, com base nos art. 40 e 46 da Lei nº 9.605/98, que estipulam pena de reclusão de um a cinco anos e detenção de seis meses a um ano e multa, respectivamente.

O Parque Estadual Ilha do Cardoso possui cerca de 150 quilômetros quadrados de diferentes tipos de vegetação da Mata Atlântica, que proporcionam uma extraordinária variedade de ambientes e de grande diversidade biológica. De acordo com o gestor do PEIC Edison Rodrigues do Nascimento, o local alvo do crime ambiental ficará registrado no SIM e será foco de ações de monitoramento, assim como será fiscalizado com maior frequência.

Além de ser ilegal, de causar o desequilíbrio e o dano ambiental, extrair e beneficiar palmito clandestinamente coloca em risco a saúde humana, saiba mais aqui.

SIM

O SIM tem o propósito de otimizar os esforços para a contenção das degradações ambientais e para a restauração florestal. Também tem a finalidade de integrar as ações dos diversos órgãos que atuam no controle e fiscalização desses territórios: a Coordenadoria de Fiscalização Ambiental (CFA), a Polícia Militar Ambiental (PAmb), a Fundação Florestal (FF), o Instituto Florestal (IF), o Instituto de Botânica (IBt) e a Coordenadoria de Parques Urbanos (CPU).