Parabéns aos jardineiros da natureza

Texto: Cris Leite
Foto: Divulgação SMA – Parque Serra do Mar – Núcleo Itatinga-Pilões

Como surgem os jardins? Dispersando sementes, combatendo daninhas e produzindo mudas. Com persistência, cuidado e trabalho diário, os jardineiros vão colorindo as casas, os condomínios, as praças e os altos dos prédios.

Mas além dos jardineiros presentes no dia a dia de moradores da cidade, há uma legião de outros, quase ignorados ou invisíveis, responsáveis pela conservação do nosso meio ambiente – os jardineiros da natureza.

As florestas e as matas como elas sobrevivem ou se reproduzem? Muitas vezes, por causa do trabalho desses jardineiros da natureza, animais dispersores de sementes. São mamíferos, aves, insetos responsáveis pela reprodução das muitas espécies da flora brasileira.

Animaizinhos como a cuíca, espécie quase ameaçada de extinção, capaz de percorrer por noite 4.000 m², é uma importante disseminadora de sementes, principalmente as das plantas do gênero Piper.

Há animais como a anta, conhecida pelo apelido de jardineira da floresta. Maior mamífero terrestre, vai deixando por onde passa sementes de tudo que come.

Pássaros com a gralha-azul, que garantem a sobrevivência do pinheiro-brasileiro, árvore tão nossa conhecida e em risco de extinção.

Sem contar dos macacos, lembrando que não são os vilões da febre amarela, mas grandes dispersores de sementes, em especial, de sementes de jatobá, árvore considerada patrimônio sagrado do Brasil.

Ainda, podemos falar de beija-flores, esquilos, besouros, abelhas, pacas, cotias, e tantas outras espécies, muitas em risco de extinção, que colaboram para o equilíbrio do meio ambiente.

No dia 15 de dezembro, vamos parabenizar o jardineiro, mas também parabenizar a natureza pela sua diversidade, que garante a vida dos jardineiros e a preservação do meio ambiente.

Fonte: Jardineiros da natureza
Instituto de Botânica