O Parque

O Parque Dr. Fernando da costa – ou Parque da Água Branca, como é conhecido -, foi criado em 2 de junho de 1929 pelo então secretário de Agricultura, Fernando Costa. Mas seu processo de formação começou bem antes: em meados de 1904, o então prefeito de São Paulo, Antônio da Silva Prado, idealizou a Escola Prática de Pomologia e Horticultura para que as pessoas pudessem se dedicar à atividade agrícola de forma profissional.  A escola funcionou até 1911.

Em 25 de abril de 1928, o então governador Júlio Prestes, decidiu construir a sede da Diretoria de Indústria Animal, transferindo as antigas dependências do Posto Zootécnico de São Paulo e o Recinto de Exposições de animais da Moóca, para a Água Branca. Em 1950 foi oficialmente batizado de “Parque Dr. Fernando Costa”, homenagem ao seu idealizador.

Na década de 70, as grandes exposições foram transferidas para o Recinto de Exposições da Água Funda (atualmente Centro de Exposições Imigrantes). Em 1975, ocorreu a mudança do Instituto de Zootecnia (IZ), antigo Departamento de Produção Animal e hoje ligado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios da Secretaria (Apta), para a Fazenda Experimental de Nova Odessa.

Mesmo com tantas mudanças, a vocação original do Parque – a preocupação com o desenvolvimento das pesquisas agropecuárias e com o lazer – manteve-se por meio dos trabalhos desenvolvidos pelas entidades e órgãos nele instalados. Novas demandas sociais trouxeram outras atividades, como programas com a terceira idade e portadores de deficiências, educação para uso sustentável dos recursos naturais, dentre outros. Em 1996, o Parque foi tombado como bem cultural, histórico, arquitetônico, turístico, tecnológico e paisagístico pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat). Em 2004 foi tombado também pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo – CONPRESP.

A área atual é de quase 137 mil metros quadrados, pouco mais de 79 mil de área verde, 27 mil edificada e 30 mil de área pavimentada (ruas, alamedas e pátios). Os prédios em estilo normando, projetados por Mário Whately, e os vitrais do portal de entrada, em estilo

art déco, desenhados por Antonio Gomide e datados de 1935, são atrativos à parteNão se trata de uma reserva de mata nativa, mas um parque totalmente implantado, desde a construção até a vegetação. O número aproximado de espécies arbóreas adultas é de três mil.

Há ainda diversas espécies utilizadas para fins paisagísticos e de alimentação para animais. Hoje, o Parque recebe um público composto não apenas por moradores do entorno, como também de diversas regiões, que ali praticam atividades físicas, participam de cursos e se deliciam com a paisagem e o caráter rural que inspira a área.