Roteiro de três dias para aproveitar a Caverna do Diabo

O Parque Estadual e seu entorno oferecem diversas opções de passeio com atrativos naturais e culturais imperdíveis

Texto: Anna Karla Moura
Fotos: Júnior Petar e Evandro Monteiro

Uma boa dica para quem busca um passeio que una atrativos naturais e culturais é o Parque Estadual Caverna do Diabo e o seu entorno.

Localizado a 295 quilômetros da cidade de São Paulo, no município de Eldorado, o parque possui trilhas, cachoeiras, mirantes e uma boa estrutura para receber visitantes. Além da visita à famosa Caverna do Diabo, que faz o turista se sentir em um cenário digno de Indiana Jones, outras trilhas, tanto no parque, como na região do entorno e a diversidade cultural e histórica do Vale do Ribeira fazem a viagem valer a pena.

O Parque

A Gruta da Tapagem, mais conhecida como Caverna do Diabo, é uma das maiores cavernas do Estado de São Paulo. Com salões amplos e ricamente ornamentados por uma grande diversidade de espeleotemas, a caverna conta com escadarias, corrimões e iluminação, o que facilita o acesso, mesmo para quem tem dificuldade de locomoção. O passeio à caverna dura cerca de 1 hora e meia e é feito com o acompanhamento de um monitor ambiental.

Caverna do Diabo

Pertinho da entrada da Caverna do Diabo, o visitante também pode percorrer a trilha do Araçá, que é uma trilha autoguiada, de baixo nível de dificuldade e com duração média de 20 minutos. A cachoeira possui três quedas d’água, sendo que a primeira é só para contemplação, e as outras duas formam poços de águas cristalinas que são um convite para o mergulho.

Caso o visitante tenha tempo para percorrer uma trilha um pouco mais longa, a trilha do Mirante do Governador leva a um ponto estratégico onde, em dias claros, se pode ter uma vista panorâmica do Vale do Ribeira. A trilha é autoguiada, tem nível médio de dificuldade e pode ser percorrida em 2 horas e 30 minutos.

O Parque conta com restaurante, loja de artesanato e souvenires, área para piquenique, banheiros, estacionamento e um Centro de Visitantes com exposição temática, onde o visitante pode conhecer mais sobre o ecossistema da Mata Atlântica e suas cavernas. Não há alojamento para visitantes dentro do Parque, mas é possível encontrar meios de hospedagem nos municípios mais próximos como Eldorado e Iporanga.

Núcleo Capelinha

Atrativos do entorno

Nos municípios do entorno do Parque Estadual Caverna do Diabo há diversas opções de passeios que complementam a visita ao Parque e ajudam a compor um roteiro imperdível.

O Vale das Ostras é formado pelo mesmo rio que atravessa a Caverna do Diabo, o Ribeirão das Ostras. Este rio forma 12 cachoeiras de diversas formas e tamanhos. A Trilha das Ostras, de aproximadamente seis quilômetros, passa pelas cachoeiras do Engano, do Vomito, da Meia-Volta, da Escondida, do Salto Triplo, do Funil, do Palmito e do Papo e pelos Poços Verde e Azul, chegando finalmente ao ponto culminante do roteiro: a Queda de Meu Deus, com 53 metros de altura. Essa última cachoeira foi eleita em 2011, com 73% dos votos, a cachoeira mais bonita do Estado de São Paulo (votação feita pelo telejornal SPTV, da Rede Globo).

Cachoeira Dito Salu, vista do alto

Na mesma região de entorno da Caverna do Diabo, o turista tem a oportunidade de participar das atividades do Circuito Quilombola, praticando turismo de base comunitária e conhecendo de perto a cultura afro-brasileira, o cotidiano das comunidades quilombolas, seus costumes, conhecimentos tradicionais e a forma como lidam com a natureza. Nesse roteiro, o turista pode conhecer a história de luta e resistência dessas comunidades e entender como elas contribuem até hoje para preservar a sociobiodiversidade da região.

No Circuito Quilombola, o visitante pode percorrer trilhas, visitar sambaquis de grande interesse arqueológico, conhecer os bananais orgânicos, as roças de mandioca, as plantas e ervas medicinais usadas pelas populações tradicionais, saborear pratos típicos da gastronomia quilombola, assistir apresentações culturais como a tutuca no pilão e as danças Nhamaruca, do Trabalhador, da Mão Esquerda, da Roda de Capoeira e da Bandeira do Divino Espírito Santo, entre muitas outras experiências enriquecedoras.

Os passeios do Circuito Quilombola são montados para grupos de acordo com as necessidades específicas dos mais diversos públicos. Conheça os diferentes roteiros que são oferecidos no site http://www.circuitoquilombola.org.br/.

Circuito Quilombola

Serviço

O telefone do Parque para informações é (13) 3871 1242. O ingresso para visitar a Caverna do Diabo custa R$ 25,00 (sendo R$ 13,00 do ingresso do Parque e R$ 12,00 para o acompanhamento do monitor). Estudantes pagam meia entrada no ingresso do Parque mediante apresentação de comprovante. Há isenção do ingresso do Parque nas seguintes situações: crianças menores de 12 anos e pessoas acima de 60 anos, pessoas com deficiência, moradores da região de entorno (Cajati, Barra do Turvo, Eldorado e Iporanga) e alunos e professores da rede pública estadual e municipal (Portaria FF 235/2016). As isenções são concedidas mediante a comprovação por documentos de estudo, idade ou residência.

O parque funciona de terça a domingo, das 8h às 17h, com a última visita à caverna às 17h. Em feriados prolongados e no período de férias escolares (a partir da segunda quinzena de dezembro até o fim de janeiro e durante todo o mês de julho), o parque também abre nas segundas-feiras.

Como chegar ao Parque

Saindo de São Paulo, o acesso ao Parque é feito pela rodovia Régis Bittencourt (BR-116), até a cidade de Jacupiranga (km 446). Segue-se então pela rodovia SP-193 (Rodovia José Edgard Carneiro dos Santos) até a cidade de Eldorado e, posteriormente, pela SP-165, em direção ao bairro de André Lopes. A distância total a partir da cidade de São Paulo é de 295 km, num tempo estimado de viagem de quatro horas e meia.

Saindo de Curitiba, o acesso é feito também pela Rodovia Régis Bittencourt até o km 477. A partir de então, segue-se o mesmo caminho indicado anteriormente. A distância de Curitiba até o Parque é de 255 km, num tempo aproximado de viagem de quatro horas.

BR 116, Rodovia Régis Bittencourt