Segundo dia na COP23 reforça agenda de alianças regionais

O presidente da Fundação Florestal, Gerd Sparovek , com o secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Yucatan, Eduardo Adolfo Batilori Sampedro

O secretário do Meio Ambiente, Maurício Brusadin, o presidente da Fundação Florestal, Gerd Sparovek e demais membros da comitiva paulista participam hoje, 11 de novembro, de diversos painéis relacionados a atuação de governos locais e regionais com o objetivo de formar coalizões estratégicas e dar suporte à ação climática global.

São Paulo e Yucatan discutem acordo para a proteção de florestas

O estado de São Paulo e o estado de Yucatán, no México, iniciaram diálogos para um possível intercâmbio de conhecimentos e experiências visando a proteção de florestas nos dois países.  O secretário de Meio Ambiente Maurício Brusadin esteve com o secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Yucatan, Eduardo Adolfo Batilori Sampedro em encontro promovido pela Rede Climate Group, durante a COP 23 em Bonn, na Alemanha. O estado de Yucatán tem o dobro da área de São Paulo. A capital, Merida, tem perto de 2 milhões de habitantes e cerca de  80% do território do estado é coberto por florestas nativas. Segundo Brusadin, há um grande interesse de ambas as partes na troca de experiências entre os dois governos e a Fundação Florestal deverá ser signatária do termo de cooperação.

 

Clima e Energia

O evento do Pacto de Prefeitos da América Latina e Caribe para o Clima e Energia foi promovido pelo ICLEI e tem o apoio institucional da SMA. A União Européia e a Bloomberg financiam a iniciativa, que tem como objetivo capacitar municípios em mitigação e adaptação climática. A ferramenta do ICLEI permite às cidades registrar e acompanhar seus objetivos climáticos, agregando-os sob uma plataforma internacional, transparente e alinhada ao artigo 13 do Acordo de Paris ao que se refere a um quadro transparente de ação. Isso permite que doadores, bancos e demais investidores adquiram a segurança necessária para aplicar recursos financeiros em municípios. Permite também que os prefeitos e alcaides tenham uma voz na agenda política internacional das mudanças climáticas. A experiência do ICLEI é muito importante para um aprimoramento das diretrizes do Programa Município Verde e Azul.

Climate Group

Nas reuniões do Climate Group o estado de São Paulo reforçou seu compromisso com o objetivo de 2 graus (http://under2mou.org/) e propôs às regiões mais desenvolvidas do mundo uma plataforma comum de mensuração e estimativa de emissões até 2050. A delegação paulista também propôs uma troca de experiência em marcos regulatórios e tecnologias. Frisando a importância do protagonismo subnacional, a ex Secretária Executiva da Convenção Quadro das Nações Unidas para a Mudança do Clima, Christiana Figueres, alertou os participantes que os países deverão demonstrar como estão cumprindo as metas de Paris até o ano 2020. As reuniões do Climate Group discutiram de forma detalhada como esses objetivos podem ser alcançados.

Secretária das Nações Unidas envia mensagem ao Brasil


O governador da Califórnia Jerry Brown durante sua fala no painel do Climate Group

Diálogo entre São Paulo e Califórnia

Jerry Brown, governador da Califórnia, alertou sobre os impactos climáticos que atingem principalmente os mais pobres e o que poderá acontecer já nas próximas duas décadas se o nível de ambição dos governos não atingir o que foi acordado em Paris. Criticou fortemente as pressões de grupos de interesse que negam as evidências do aquecimento global e mostrou como medidas de mitigação e adaptação também criam empregos e reduzem a poluição local. Mencionou a importância de criar e manter instituições sólidas e autoridades regulatórias fortes para atingir esses objetivos.

Em conversa com o Assessor de Mudanças Climáticas da SMA, Oswaldo Lucon, foram iniciadas tratativas para restabelecer a cooperação de 2004 entre os estados. O Secretário de Meio Ambiente de São Paulo Mauricio Brusadin propôs que se criasse uma nova agenda de cooperação com estado da Califórnia, que promoverá um importante encontro sobre Economia de Baixo Carbono em setembro de 2018.

A Califórnia reduziu a taxa de desemprego pela metade, expandiu a cobertura de saúde para milhões de californianos e adicionou mais de 2 milhões de novos empregos, ao mesmo tempo que promulgava reformas radicais de segurança pública, imigração, compensação de trabalhadores, água, pensões e desenvolvimento econômico. A Califórnia também estabeleceu metas líderes no país para proteger o meio ambiente e lutar contra as mudanças climáticas e, até 2030, o estado: reduzirá as emissões de gases de efeito estufa em 40% abaixo dos níveis de 1990, gerará metade de sua eletricidade a partir de fontes renováveis, o dobro da taxa de economia de eficiência energética em seus edifícios e reduzir o uso atual de petróleo em carros e caminhões em até 50%.

O Relatório “Sem motivos para esperar” foi feito entre os estados e apresentado na CoP11 de Montreal, Canadá, em 2005. A cooperação com São Paulo acelerou a adoção de uso de etanol por veículos flex na California. A legislação californiana foi a base da política estadual de mudanças climáticas paulista, PEMC, de 2009.


O governador da Califórnia Jerry Brown e o assessor da SMA, Oswaldo Lucon

SP e Renânia do Norte reestabelecem cooperação

Os estados de São Paulo e Renânia do Norte na Alemanha (que abriga a cidade de Bonn, onde acontece a COP23) restabeleceram os laços que tinham desde 2002 através da Rde de Governos Regionais para o Desenvolvimento Sustentável (nrg4sd). O Secretário Maurício Brusadin se encontrou com o Ministro Andreas Pinkwart (Ciência, Tecnologia e Inovação) e propôs uma agenda comum entre as duas regiões que traga benefícios para a economia de Baixo Carbono de São Paulo. A região alemã tem também interesse em estabelecer uma cooperação com as universidades paulistas.


Maurício Brusadin, Andreas Pinkwart e Oswaldo Lucon