Transição agroecológica é estimulada no município de São Paulo

Capacitações de extensão rural são fundamentais para que as ações se concretizem no estado

A Secretaria do Meio Ambiente (SMA) promoveu a capacitação da equipe de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) do município de São Paulo, na quarta-feira, 11 de abril, para apoiar agricultores no processo de transição agroecológica, que é o objetivo do Protocolo de Transição Agroecológica e de Estímulo à Produção Orgânica firmado entre as Secretarias Estaduais do Meio Ambiente (SMA) e de Agricultura e Abastecimento (SAA), a Associação de Agricultura Orgânica (AAO) e o Instituto Kairós.

A Prefeitura de São Paulo já possui dois grupos de agricultores em processo de transição agroecológica nas zonas sul e leste. E a demanda está aumentando, de acordo com a Casa da Agricultura Ecológica, em Parelheiros, (CAE-Parelheiros), que conseguiu contratar dois técnicos para auxiliar na tarefa.

As novas contratações foram realizadas por meio do projeto Ligue os Pontos, da Secretaria de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), em conjunto com outras pastas e órgãos municipais. E é resultado de um esforço da Prefeitura de São Paulo em promover o desenvolvimento sustentável do território rural.

Com essa visão, a cidade de São Paulo venceu o prêmio Mayors Challenge 2016, promovido pela Bloomberg Philanthropies, que premiou iniciativas inovadoras em políticas públicas em cidades da América Latina e Caribe. A terra da garoa recebeu o prêmio principal, tendo como pressuposto que um dos desafios a ser enfrentado pelas cidades latino-americanas é a promoção de uma relação sustentável entre as áreas urbanas e rurais. As cidades de Santiago, Medellín, Guadalajara e Bogotá também foram premiadas.

“Somente com articulação entre as diversas instituições que envolvem a relação entre o urbano e o rural, a valorização e o reconhecimento da importância da agricultura para a preservação ambiental, é que será possível enfrentar os problemas complexos do desenvolvimento rural sustentável. A agroecologia, com suas práticas sustentáveis, permite agregar valor aos produtos, acessar novos mercados e viabilizar a continuidade da atividade agrícola na região”, destacou Araci Kamiyama, da Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais (CBRN/SMA).

Texto: Luciana Reis
Fotos: divulgação
Revisão: Cris Leite